jump to navigation

Como contratações Executivas acontecem de fato? 04/03/2016

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
3 comments

Onde está o erro? Nesta semana vários de meus colegas me contaram, frustrados, que não conseguem passar da fase das entrevistas. E, em suas auto-análises, eles avaliam erroneamente todo o cenário, e não raramente atribuindo o insucesso à idade, ao alto-número de candidatos, ao salário ou à incapacidade da empresa de “se decidir”. E me contam que são intensos no networking, e que acreditam fortemente no fator popularmente apelidado aqui no Brasil de o Q.I. ou seja o “Quem Indica”. Basicamente estes profissionais saem de encontro aos colegas onde divulgam a mensagem básica: “me avise se souber de alguma coisas que se encaixe com meu perfil”. Ora, em minha visão, isto é um erro. Isto não é Networking. Tipicamente os 3 maiores erros de Networking cometidos por Executivos Seniores são: (1) Foco na Vaga aberta; (2) Foco em pedir favores e; (3) Foco no Currículo ao invés da Lista-Alvo de empresas. O melhor conselho que posso dar é: construa seu Network com um propósito em vista. Se as pessoas não sabem qual é sua meta você deixará seu futuro nas mãos do destino. Se você se focar em conhecer mais pessoas e fazer perguntas informativas sobre seu campo você descobrirá, por tabela, tudo sobre oportunidades.  Não foque nas vagas, foque nos seus “potenciais compradores”.  Mais cedo ou mais tarde, todo Decisor irá abrir uma vaga. É fato que 75% de todos os Decisores contratam alguém que eles conheciam previamente antes de sequer terem pensando na vaga em mãos.

Me ajudem a consolidar esta pesquisa: vote aqui

.

.
.
.

 

Pedro Carvalho – Sócio in-sight®


 

Painel de Vagas 21/01/2016

Posted by Pedro Carvalho in Job Postings.
Tags: , ,
add a comment

Painel de Vagas

…………

Untitled Document

Vagas Executivas (e média gerência)
Título da Vaga Link para se Candidatar Segmento Data Final para se Candidatar Recrutador
Chief Human Resources Officer http://bit.ly/RHChief Services 15-Feb ExGV
Senior Manager of Supply Chain Transformation http://bit.ly/SM-SupplyChain System and Control 21-Feb ExGV
Business Quality Leader http://bit.ly/vagaBQL Appliances 28-Feb ExGV
CIO http://bit.ly/CIO-MorIE Mechanical or Industrial Engineering ExGV

…………………… .

Ah! …e eis a resposta para a pergunta mais frequente: “Como me candidato?” Estamos dando prioridade para quem seguir os procedimentos indicados corpo do descritivo da vaga..... *
Retainer: O que é Retainer? é um formato de Recrutamento – vide explicações neste link*
Indicação : é quando um Presidente ou Executivo Sênior, Associado da ExGV, colega nosso nos pede para coletar alguns CV’s sob os serviços que a Associação concede a seus integrantes. É um formato de triagem simples.

“Nunca contrate alguém acima dos 40” 19/01/2016

Posted by Pedro Carvalho in Acima dos 40, Editorial.
Tags: , ,
7 comments

Já há algum tempo tenho apoiado altos executivos, ajudando-os a trabalhar com os desafios em suas carreiras e abrir novas oportunidades de crescimento profissional e pessoal. Naturalmente, quando se fala em altos executivos, quase que por definição, está se falando sobre trabalhadores mais velhos, em geral acima dos 40 anos.  Porém, o clima corporativo nas contratações de hoje parece continuar a ignorar os trabalhadores mais velhos por uma série de motivos. Recentemente encontrei um interessante debate acadêmico sobre este tema em um espaço para debate no blog do The New York Times, onde diversos profissionais discutem sobre o porquê que empresas americanas têm muita dificuldade para que abraçar uma força de trabalho mais Senior.

De acordo com Peter Cappelli, diretor do Centro de Recursos Humanos Wharton School, trabalhadores mais velhos contribuem muito mais ao trabalho do que os os mais jovens. Eles têm melhor desempenho em uma ampla gama de áreas, trazem habilidades maduras e muitas habilidades interpessoais, normalmente são mais conscientes, atendem melhor, e assim por diante. Como diz Cappelli, “Embora se possa supor que os trabalhadores mais velhos custam mais, na verdade estes valores que os trabalhadores mais velhos recebem estão relacionados à experiência — o que afeta o desempenho.”

Alguns dos colaboradores do blog notam que o desempenho não muda depois de uma certa idade. Em contrapartida, Laurence Kotlikoff, professor de economia na Universidade de Boston, diz que os picos de produtividade nos 40’s declina gradualmente com a idade. No entanto, o problema real para a maioria dos empregadores, ou mais especificamente, a maioria dos gestores, é que eles não sabem como lidar com subordinados mais velhos. Este é um problema que muitos sentem: ninguém vai contratar seu pai ou sua mãe. É como Cappelli explica:

“O motivo real que empregadores parecem preferir candidatos mais jovens tem a ver com a percepção de seus supervisores, que muitas vezes se preocupam sobre como administrar seus subordinados mais velhos: Como posso controlar quem tem mais experiência do que eu, como faço para motivá-los quando eles estão menos preocupados com a promessa de promoções ou com a possibilidade de serem despedidos? Gerenciar trabalhadores mais velhos, de fato, não requer nenhuma ciência especial, mas requer uma abordagem mais colaborativa que respeite a expertise e abrace seus interesses.”

Jean Twenge, professor de psicologia de San Diego State University, observa que há alguns desafios com a força jovem de trabalho também. Ela observa que a geração de trabalhadores mais jovens tendem a ser mais auto-confiantes, ter maior auto-estima, assertividade e narcisismo, que são características que tendem a servir-lhes bem em uma entrevista de emprego, mas pode criar problemas no trabalho como a auto promoção de um sentimento e excesso de confiança e arrogância; “Pessoas narcisistas tendem a assumir muitos riscos, levando ao fracasso, e são impulsionados a reagir com raiva e agressividade quando criticados.”

Então, qual é a solução para os trabalhadores mais velhos à procura de uma nova oportunidade? A resposta é a mesma que venho dando nos meus editoriais anteriores (há algumas sugestões de leitura ao final deste editorial).  Ademais: venda seus pontos fortes. Promova sua experiência, confiabilidade, trabalho intenso, ética e habilidades interpessoais. Também demonstre sua flexibilidade, mostre que você pode se adaptar como colegas mais jovens. E tenha a postura de oferecer sua expertise ao invés de “buscar uma vaga”. Talvez você possa pensar em oferecer seus conhecimentos sob uma forma de consultoria, assim o empregador pode tirar proveito de sua experiência sem ter que se preocupar com questões como: “Como posso gerenciar meu pai?” Não tente competir com a forma de abordagem deles, mas ao contrário, faça uma lista de seus valores que agregam à organização e assim utilize seu próprio método de abordagem.

 

Até a próxima edição!

Partner – in-sight

Se você quer mais informação, veja  minhas sugestões de leitura:

Alguém quer se juntar à festa do muro das lamentações? 18/01/2016

Posted by Jacqueline Maia in Editorial.
2 comments

Esta semana estive com o Gustavo, um colega que procura emprego há 8 meses. Durante o encontro ele argumentou que o motivo da delonga dele é justificado. Ele disse que “embora o Brasil esteja em franco crescimento, empresas decidiram não contratar… vão fazer mais com menos”.  Puxa! que balela…!! e acrescentou: “inclusive estive com uma Head Hunter recentemente que me confirmou isto”… uau! penso eu…: O Gustavo encontrou a justificativa que procurava.  Optou então por seguir na sua consultoria e ‘congelar temporáriamente sua procura’. É assim pessoas como ele abrem espaço para os otimistas. Tive vontade de perguntar a ele: “então quando você acha que o Brasil voltará a contratar? Quando estiver em recessão?” Particularmente eu, só tenho visto boas novas ultimamente. Fiquei positivamente impressionado com a noticia desta semana que 2 empresas de Outplacement renomadas no Brasil empregaram 10% da população de clientes em apenas 7 semanas de procura no primeiro trimestre deste ano.  Não raramente escuto histórias como esta onde ex-Executivos brilhantes fazem muito pouco além de esperar o telefone tocar. —  Nestes dias de jogos da Copa ouvi técnicos brilhantes argumentarem: “chegamos próximo à final, tínhamos o melhor time – já vencemos aquele time múltiplas vezes no passado, treinamos mais, tínhamos os melhores atacantes, a melhor defesa. Porque perdemos?”  Perderam porquê bateram no muro.  Os jogadores tentaram de tudo, mudaram táticas, correram mais, alternavam jogadores. Se sentem como se não tivessem truques novos.  Infelizmente se você é Coach e acontece isto enquanto seu time está jogando, você realmente deu de “cara na parede”. Felizmente, se você está com a “cara na parede” enquanto se está procurando emprego há muitas alternativas para seguir adiante.  Existe um número ilimitado de táticas a serem usadas para abrir oportunidades, aumentar as dicas e informações que levam a um novo emprego e mais importante: expandir seu network.  É nesta hora que gosto de parafrasear o Benjamin Franklin “If you keep doing the same thing over and over, you’ll keep getting the same results”. Benjamin Franklin chamou isto como “Definition of Insanity”.

Se você quer mais informação, veja a bibliografia:

Sugestões de leitura:

Fazer Networking de forma eficiente 17/01/2016

Posted by Jacqueline Maia in Editorial.
add a comment

É raro eu encontrar algum Executivo que conteste que o Networking é o meio pelo qual se encontra uma nova oportunidade (embora, acreditem, existem alguns dinossauros neste Brasil!). Simplesmente colecionar cartões de visita, atender a eventos ou expandir sua rede de Linkedin não aumenta suas chances de que estes contatos serão de benefício para você em um futuro próximo. É preciso algo mais para ter esta disponibilidade de se beneficiar desta rede quando for necessário.  A dica universalmente mais aceita é esta: Ofereça ajuda aos outros primeiro, e eles então lhe retornarão um favor. Você sempre pode perguntar aos novos contatos para que eles digam sobre o negócio que eles estão envolvidos, quais os desafios eles estão confrontando. Desta maneira você saberá como, ou alguém que possa ser de ajuda, e este é um bom começo de um relacionamento. O truque é focar em ganhar credibilidade, que cresce quando compromissos são cumpridos, promessas são efetuadas, fatos são verificados e ações são entregues.  Falhas em atingir as expectativas – em cumprir ambas promessas implícitas ou explicitas – podem matar um relacionamento camarada antes que seja iniciado.

Fazer bem network cria possibilidades para um futuro melhor. Pessoas tendem a esquecer a importância de criar credibilidade a longo-prazo porquê as pessoas estão focadas no imediatismo de obter um emprego ou uma venda. Mas com este tipo de postura você apenas obterá no máximo sua “refeição do dia”. Pelo contrário, foque em ser conhecido e reconhecido, foque em ser conhecido como confiável. Um relacionamento longo e duradouro é mais beneficial para ambos.

Tenho o costume de lembrar meus clientes a compartilhar informação. Uma das maneiras é enviar artigos relevantes via e-mail. Outra costume meu é fazer follow-up em assuntos casuais em algo que aparentemente não tem importância, o que, na minha opinião, cria uma sensação de ser tão importante como fechar um negócio bom, ou entregar um produto confiável.

No final das contas, não é apenas necessário ser um Expert em um assunto, se ninguém te conhece suficientemente bem para um dia ligar para você. Criar uma imagem convidativa para você pode gerar oportunidades e negócios. Em nossas pesquisas no Centro de Carreiras Associação de Ex-Alunos da FGV, e na Authent®, pessoas são mais propensas a chamar alguém quando não apenas são conhecidas como um Expert, mas quando já iniciaram alguma troca de sociabilidade de forma que criou-se um clima de conforto para ambos.

Facebook, LinkedIn, Twitter e outras mídias sociais pode consumir o dia-a-dia de seu tempo. Porém estes recursos on-line podem servir para reforçar suas conecções.  Por exemplo, ao postar algo no Facebook ou no Twitter que liga a um artigo relevante, você estará proporcionando valor aos seus colegas e demonstrando engajamento com assuntos de negócios pertinentes. Escrever artigos originais, ou propor comentários em artigos postados faz com que você esteja na mente de pessoas e permitem que elas vejam o quanto envolvida você está na sua industria. É uma maneira eficiente de continuar um relacionamento com alguém que você conhece.

Mas a comunicação on-line não é suficiente, especialmente para contatos novos. O benefício real é aquele que sempre gera uma forma de contato pessoal, porquê pessoas sentem mais confortáveis iniciando um encontro com alguém que eles “conhecem” eletronicamente. É especialmente importante procurar e aceitar encontros face-a-face com novos contatos pois tecnologia nunca vai ser páreo para a conecção humana. Contatos pessoais in-loco para colegas que você já conhecem são muito úteis também, mas dado que as pessoas estão com agendas muito tomadas, é importante estabelecer encontros pessoais com contatos que você não conseguiu dedicar muito tempo fora de reuniões de grupos.

Até a próxima edição!

Pedro Carvalho – Sócio in-sight®

Se você quer mais informação, veja a bibliografia:

Sugestões de leitura:

Porque o Head Hunter não está tão a fim de você 26/07/2015

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
add a comment

Pelo menos uma vez por semana, alguém me envia um e-mail reclamando de um Head Hunter ou de um RH. Em geral são colegas que estão chateados porque alguma empresa não se preocupou em reconhecer ou dar atenção a seu currículum ou deixou de fazer um follow-up após uma entrevista. Estas mesmas pessoas sempre se chocam quando não compartilho de suas lamentações. Parte de minhas atividades é estar ao lado do RH ou Head Hunter e então sei o porquê de não receber o retorno desejado. Puxa viva…, por que será que; “ Ele não está tão a fim de você “? Há um livro (e agora o filme com o mesmo nome), que explica às mulheres o porquê desta questão. Os RH’s e os Head Hunters compartilham algumas das mesmas similaridades: Aqui estão elas: 1) Eles, os Head Hunters, buscam apenas os candidatos em quem estão realmente interessados e quando estão prontos para contratá-los. Eles têm o seu e-mail e seu número de telefone e sabem como utilizá-los. Então, se você não receber nenhuma notícia deles é porque: A) eles não estão prontos para contratar para a posição ainda, ou B) você não é o escolhido. Nota: Alguns processos de contratação podem levar meses para serem concluídos. Assim, se você parecer desesperado, prejudicará suas chances de conseguir um emprego caso comece a assediar impulsivamente o Head Hunter ou RH sobre a oportunidade. Deixar que eles saibam que você está definitivamente interessado na posição é uma coisa, mas perturbá-los repetidamente é inapropriado. 2) Você não é a prioridade deles. Encontrar candidatos para as posições disponíveis é apenas uma das inúmeras responsabilidades do RH. Encontrar um emprego talvez seja o foco principal em sua vida mas, para o Head Hunter, você é apenas um item em uma longa lista de afazeres. 3) Eles não têm tempo, dinheiro ou desejo de facilitar a vida dos candidatos. Atualmente, alguns recrutadores chegam a receber mais de mil candidatos em menos de um dia de postagem de um emprego. É isso mesmo – mais de 1000 cartas de apresentação e currículos para análise. É um processo trabalhoso demais e potencialmente improdutivo. Especialmente, quando se leva em conta que muitos candidatos não dizem a verdade sobre seus curricula ou se candidatam mesmo que estejam totalmente desqualificados para o trabalho. Até eu, que ocasionalmente faço recrutamento, e tendo vivido isto intensamente, posso dizer que não há nada mais frustrante do que triar centenas de curricula e escolher aqueles que escreveram aparentemente o melhor curriculum e em seguida, ligar e descobrir que eles não são tudo aquilo que diziam. Para falar a verdade, eu escuto claramente da maioria dos profissionais de contratação que, quando eles se sentem abarrotados de CV’s para triagem, não se preocupam em ler todos. Procuraram candidatos provenientes de alguma referência. É como no namoro, o Head Hunter fica interessado naquele profissional que é altamente recomendado. (Dica:. A maneira mais rápida e simples para que seu curriculum suba para o topo da pilha de análise é uma recomendação pessoal de uma fonte crível). Ademais, a maioria das empresas de recrutamento não estão equipadas com o pessoal nem tecnologia (e nem estão dispostas a gastar o dinheiro para tal aquisição) para poder enviar e-mails personalizados de rejeição para milhares de profissionais. O processo de pensamento deles sobre isso é o seguinte: Se você está na atividade de procura por trabalho, você entende as regras. Sabe-se que nem todo mundo ganha e uma explicação não lhe é devida. Na verdade, tentar obter um status (ligar ou enviar e-mails queixando-se por não ter sido escolhido ou que não foi informado que não foi escolhido) é a maneira mais rápida para ser lembrado como alguém que NUNCA deva ser contratado. Para resumir, a próxima vez que pensar em reclamar sobre como o Head Hunter é insensível e ineficiente, por que você não tenta se colocar no lugar deles? e, ao contrário, pense em formas alternativas que você poderia usar para chamar a atenção e ganhar respeito e credibilidade. Lembre-se da simples lei da atração: É preciso dois para dançar um tango. Assim, talvez seja melhor apenas seguir em frente e continuar procurando o trabalho certo onde vai ser valorizado e qualificado pelo que você é. Se eles perceberem que que você tem qualificações e perfil para uma vaga potencial, certamente retornarão o contato. Depois é sua vez de decidir se você os quer!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Bibliografia e sugestão de Leitura e Filme: * Livro: Business Etiqeutte: The Results Drive Manager (na Amazon). Business is built on relationships, but human interaction is fraught with communication land mines that can range from embarrassing to punitive. This guide offers savvy advice for managers on how to conduct themselves professionally and effectively. # Communicate for positive outcomes; # Recover from awkward encounters; # Understand the unwritten rules of email, office politics, and more… * Link do filme no Brasil: Ele Não Esta Tão a Fim De Você.

10 anos mais jovem em 17 dicas 23/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Acima dos 40, Editorial.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Frequentemente recebo apelos de executivos dizendo que não sabem como lidar com questões de discriminação relacionada a idade. Eles querem saber como manter sua vantagem competitiva em relação aos concorrentes mais jovens. Legal ou não, a discriminação pela idade, é algo que você vai ter que enfrentar quando estiver aperfeiçoando sua estratégia de networking, seu curriculum e seu marketing pessoal.

Qual a idade que você passa quando está sendo entrevistado? Mesmo não mostrando datas no Curriculum, é fácil calcular a sua idade baseado na data de sua formatura ou mesmo no tempo que você esta trabalhando. No entanto, eis a verdade: Percepção é a nova realidade. Aprenda a arte de ser percebido como mais jovem, bem como parecer mais jovem. O importante é entender que, neste tema de empregabilidade executiva, juventude é algo que vai além da percepção visual.

É justo? Será que é legal? E o mais importante, você deve se preocupar com isto? Se você tem mais de 40 anos, você precisa ler o que se segue.

Há mudanças constantes nas empresas. Patrões podem usar a magia da palavra “demissão” como se fosse um cheque em branco que pode ir ao fogo a qualquer momento por qualquer motivo. E pode-se atacar a alta gerência – jogar os trabalhadores seniores na fogueira, cujos altos salários e grandes egos já superaram em muito as boas-vindas dos primeiros dias na empresa.

Então, de volta ao tema da idade.

Enquanto muitos trabalhadores aprenderam que uma boa aparência e um terno bem cortado podem representar uma boa ajuda rumo ao sucesso no trabalho, mas muitos não conseguem enxergar que cultivar a percepção da juventude é igualmente uma parte importante da equação.

Ser percebido como mais jovem está no vocabulário, na linguagem corporal e no olhar. E eis um segredo: Estas regras aplicam-se mais ainda quando seu chefe tem sua idade ou é até mais velho. Não se trata de seguir um roteiro para impressionar alguém mais jovem. Seja qual for a idade de seu chefe ou entrevistador, você precisa criar uma percepção de jovialidade sobre si mesmo. Caso contrário, haverá alguém mais rápido no computador e com conhecimentos de cultura contemporânea, que ficará muito feliz em preencher a oportunidade a que você se candidata.

A esta altura você já deve estar se perguntando: Então, como se faz isso? Aqui estão algumas dicas, use-as para se lembrar como chamar a atenção do seu próximo empregador enquanto aqueles que estão ao seu redor estão perdendo sua jovialidade:

Regra # 1: Se você tem mais de 40 anos, quero você no Facebook e Linkedin hoje!

Não tem amigos lá? Você já tem um: basta me adicionar. Se você não sabe como usá-lo, peça a seus filhos ou outro colega te ensinar. Deixe esta mesma pessoa te ajudar a escolher sua foto no perfil. Sério mesmo. Você sabia que o novo Outlook 2010 “puxa” as informações do Facebook e Linkedin? Hoje acho muito estranho quando recebo e-mails de profissionais que não conheço e não há informação disponível das mídias sociais que o Outlook deveria ter puxado. Denota claramente que é alguém “fora do contexto”.

Regra # 2: Conheça e use com frequência o Google e a Wikipedia.

Marque-os em seu computador e defina-os um como sua página inicial.

Regra # 3: Assista alguns episódios de “Two-and-a-half-Man“.

Discuta. Reveja.

Regra # 4: Vá até uma loja que tenha os iPad’s.

Pelo menos, aprenda a diferença entre um iPad, iPod, Galaxy e Smartphone e você já estará no caminho certo.

Regra # 5: Aprenda a usar SMS (mensagem no seu celular).

Regra # 6: Não use papel.

Jovens lêem suas notícias on-line – eles não lêem jornais. Portanto, não carregue um jornal em papel para uma entrevista, nem deixe ser visto lendo isto no escritório, como se você fosse o papai ou mamãe de alguém.

Regra # 7: Não resmungue.

Esta é fácil. Mas é impressionante como isto se relaciona com idade avançada. Pare de reclamar de seu antigo empregador e de suas antigas dificuldades. Seja positivo.

Regra # 8: Faça contato olho-a-olho.

O contato visual é muito importante para ser percebido de forma mais jovial, não tenha receio!.

Regra # 9: Raramente faça comentários sobre seus filhos, especialmente os piegas.

Regra # 10: Vá para a academia.

Ou pelo menos diga que você costuma ir.

Regra # 11: Não fale sobre os anos 80’s e 90’s.

Não use frases tais como: “no meu tempo”, “na minha época”. Nunca!

Regra # 12: Inicie um Twitter, seja fã de um Blog.

Procure imediatamente saber como funcionam.

Regra # 13: Sorriso Colgate.

Recebo muitas cartas de pessoas que simplesmente não entendem que ter os dentes manchados de café não ajuda em nada na hora da entrevista. Pare de enrolar, compre a super-pasta clareadora (use a marca de sua preferência) e clareie os dentes. Então sorria. Sorrir faz você olhar e se sentir mais joven – e não amargo, velho e desempregado. Não me importo se você realmente está amargo, velho e desempregado. É uma questão de percepção, lembra?

Regra # 14: Pratique “soar jovem” no telefone.

Faça uma pesquisa de quantos anos você parece ter ao usar o telefone, pratique com um amigo. Uma dica: Não fale tão alto, mas de forma mais vigorosa. Isso é crucial. Na mesma linha de pensamento, certifique-se seu papo não é muito longo ou entediante. Tudo que você precisa é parecer curto e suave, com atitude positiva.

Regra # 15: O vestuário é muito importante: Vista-se sempre de forma apropriada para sua a idade.

Nenhum homem com mais de 40 deve usar camisa apertada, por exemplo.

Regra # 16: Dê uma boa e longa olhada no seu penteado.

Meu conselho é perguntar a um estranho a opinião dele ou dela. Alguém que gosta de você não vai querer ferir seus sentimentos e, infelizmente, isso não vai ajudá-lo. Uma coloração esquisita de cabelo, tanto para homens ou mulheres pode estragar a aparência. Creio que você concorde que colorir cabelo para os homens raramente funciona.  Homens, não exagerem em sua busca por um penteado novo – apenas apare os pelos de seu nariz e orelha que você já estará no caminho certo. Mulheres: tirem ou clareiem os pelos faciais.

Regra # 17: Passar colónia e perfumes em excesso.

E já que tocamos neste tema, use desodorante neutro. Desta forma uma fragrância suave poderá ser agradavelmente percebida.

Ok … Sentiu-se mais jovem, ou apenas nivelou?

Confie em mim, talvez tenha conseguido tirar 15 anos do jeito que você vem tocando sua vida. Sim, sei que algumas coisas que citei acima aqui são cosméticas, ou parecem picuinhas ou controversos, mas a maioria não é. Trata-se de percepção… e percepção é a nova realidade.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Editoriais semelhantes pelo mesmo autor:

Fonte e Bibliografia:

Over 40 & You’re Hired!: Secrets to Landing a Great Job – por Robin Ryan

Finding Work After 40: Proven Strategies for Managers and Professionals  – por Robin Bell and Liam Mifsud

Bulletproof Your Job  – por Stephen Viscusi

Issues in Career Development – por John Patrick da California University of Pennsylvania

Ross Macpherson – Career Quest

 



Não perca meu tempo 23/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
Tags: , , , ,
add a comment

Estou lendo um livro muito interessante chamado “Alça de Silicone”. A autora, Maria do Carmo, é fundadora da empresa Executivas & Chiques, que presta serviços de consultoria na área de Imagem, Estilo e Etiqueta Corporativa. Em várias passagens do livro e seu blog a autora comenta sobre a impressão que profissionais causam no primeiro encontro.

Normalmente as pessoas são competitivas na maior parte do tempo.  No mundo corporativo a competição é ainda mais cruel. As pessoas associam qualidade do seu trabalho com a maneira com que você se apresenta. Uma coisa importante a saber: não é preciso ter cursos de oratória para ser elegante. Os componentes fundamentais  da elegância são o respeito aos outros e a atenção ao que as pessoas têm a lhe dizer. Mais até do que um terno de grife carésimo.

Ser elegante inclui boa postura, discrição e, sobretudo, bom senso. Não é elegante, por exemplo, usar termos em inglês a torto e a direito – aquele que parece estar sempre acima das ultimas gírias internacionais, ou mesmo exagerando no “tecniquez” de sua profissão. Mas também, por favor, não tenha uma ignorância completa pelos termos básicos. Seja equilibrado, utilize seu estilo de linguagem e tente nele se manter, criando, assim, uma “marca” pessoal.  Uma forma elegante de conversar não é futilidade para um profissional que pretende se destacar. É, isso sim, ferramenta de trabalho que além de agregar valor à imagem, pode ser decisiva naquele encontro de networking.

No outro extremo da elegância estão os Prolixos, tema central deste meu editorial.

Existe um provérbio sobre as pessoas prolixas: “Quem muito fala pouco acerta, Quem muito fala, muito erra“. A piada reconhece o fato de que falar demais é esquisito. Prolixidade é a arte de usar os outros para chamar a atenção e aprovação por não se darem, a si mesmo, o bastante em atenção e aprovação. O prolixo não está realmente oferecendo algo para o ouvinte. Ao contrário, o prolixo, usando extensivamente de um monólogo, está drenando energia do ouvinte. Pessoas que geralmente ouvem os prolixos são verdadeiros “Santos” que têm receio de magoar o falador ao forçar o término de uma conversa.

Prolixos muitas vezes são pessoas carentes que tentam preencher seu vazio aprisionando pessoas para escutá-las. Por exemplo: já vi pessoas dizendo a um caixa de banco, a história de sua vida, enquanto o coitado do caixa fica preso e não sabe como afastar o falante sem ser indelicado. Uma das razões pelas quais essas pessoas têm poucos amigos de qualidade é que ninguém o quer por perto.

Meu caro amigo; se você se enquadra na categoria dos prolixos, não demorará a perceber que muita gente
passará a evitá-lo. A maioria das pessoas não irão te dizer a verdade:

  • Que o seu prosório é entediante;
  • Que se sentem cansados com aquelas estórias intermináveis;
  • Que você lhes drena energia;
  • Que se sentem como idiotas por terem, novamente, caído na sua armadilha do blá, blá, blá.

Sem querer ofendê-lo, apenas ficam longe e não falarão a verdade. Eles não irão atender o telefone ou marcar uma reunião quando sabem que é você! Encontrarão qualquer desculpa para não gastar tempo com você. Não é que eles não gostam de você – é que eles não querem ser usados por você para preencher o seu vazio.
Por fim a primeira coisa que você precisa saber, se pretende causar uma boa impressão, é que precisa ser minimamente elegante.  E para tal, você deve respeitar todas as pessoas. Não é por muito falar que os outros irão perceber o quanto você é bom ou eficiente. É, isto sim, por sua capacidade de escutar. Respeito pelo outro é uma mostra de educação e respeito refinados, e o retorno sempre virá. Cooperação e solidariedade devem ser exercitada diariamente para que você se sinta bem com você mesmo e para que os outros se sintam ainda melhor.

Até a próxima Edição!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Fonte e Bibliografia:

Reinaldo Polito é Mestre em Ciências da Comunicação, Palestrante, Professor de Expressão Verbal e Escritor.

Alça de Silicone – Conselhos para mulheres em busca do sucesso profissional por Maria do Carmo Marini: Consultora e empresária, é engenheira de formação com especialização em marketing, comunicação corporativa e coaching pessoal e profissional.

Que impressão você dá às pessoas com quem conversa? I – do blog “Executivas e Chiques” da mesma autora: Maria do Carmo Marini http://executivasechiques.com

Keys for Relating to Non-Stop Talkers71 – http://hubpages.com/hub/Keys-for-Relating-to-Non-Stop-Talkers

10 formas de avaliar se sua busca por um emprego é uma piada 22/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
Tags: , , ,
6 comments

Nesta semana me convidaram para comentar táticas de busca ruins de emprego. No entanto, é difícil escrever algo engraçado, quando o que você está vendo não é brincadeira. Nós devemos ter uns 4 milhões de executivos buscando um novo emprego . Eu diria mais do que 70% deles estão fazendo uma fraca busca por um novo trabalho. Talvez a boa notícia seja que, se você está lendo isso, você pode evitar esforços banais na busca por um novo emprego e obter alguma vantagem sobre seus concorrentes. Aqui vão 10 táticas de procura por um emprego que não te levará a nada … RÁPIDAMENTE. Se você se sente culpado em qualquer uma destes, então sugiro conversarmos.

#1 – Passar uma hora por dia aprimorando o seu currículo. FATO: Curriculum não te contrata – as pessoas sim. Seu currículo precisa ser formatado de maneira lógica, usando fonte limpa, e apresente os fatos (ou seja: realizações quantificáveis) em um formato fácil de ler que esteja na moda. Se você não pode fazer isso sozinho, pare de perder tempo em aprimoramento, pois pode piorar. Obtenha alguma ajuda e começe a se concentrar nas atividades que dão alto retorno como encontro com pessoas que realmente leriam seu currículo.

#2 – Preencher formulários de empregos on-line que não lista o nome do empregador ou não permite ir direto ao site da empresa. Entenda que sem o nome da empresa, você não tem idéia do é. Você não pode escrever uma carta razoável para adequar às suas necessidades. Em resumo, você não pode fazer nada para aumentar as chances de receber uma chamada. A maioria destes empregos são publicadas pelos recrutadores e headhunters. Assim, você estaria usando melhor seu tempo se procurasse qual agência está publicando aquela oportunidade, e se ligasse para combinar uma visita para compartilhar suas credenciais pessoalmente. Dessa forma, suas chances melhorariam. Recrutadores filtram cerca de 1000 candidatos por vaga. Se você quer estar mais presente na mente deles, então encontre uma maneira de se encontrar com eles pessoalmente. Submeter uma apresentação genérica a uma destas vagas, é como encontrar uma agulha num palheiro – a menos que seja hiper-brilhante, suas chances que ele te veja são MUITO pequenas.

#3 – Jogar a sorte, fazendo volume, se candidatando a muitos empregos enquanto toma uma cafezinho na frente do computador (mesmo que não esteja plenamente qualificado para a posição), e depois selando sua garantia de que nunca será chamado ao incluir uma mensagem de apresentação chatíssima que diz ‘tudo sobre mim’. Você sabia? Os Decisores de Contratação escolhem um candidato com base em três características principais, nesta ordem:

  1. Será que sua personalidade se encaixa nesta organização, e para esta posição?
  2. Você tem as habilidades e capacidade de fazer o trabalho?
  3. Você tem experiência?

Observe que a experiência é terceira na lista de prioridades de contratação. Quando você se candidata cegamente a vagas de trabalho, você pode ter certeza que ‘não fez nenhum gol’ na arte de demonstrar suas características profissionais e suas habilidades transferíveis. Tudo o que você consegue fazer é apresentar a sua experiência – da mesma forma que as outras 100 mil pessoas que se candidataram online. Adivinha quem receberá o telefonema? A pessoa que levou seu currículo até a porta a alguém que trabalha naquela empresa (especialmente o Decisor da vaga) e que pensará “Ele / ela é muito legal (tem personalidade) e sei que ele/ela pode fazer este trabalho (têm competências).” Entendeu o porquê jogar caca no ventilador do emprego ainda não funciona?

Ademais, se você estiver enviando uma carta genérica que começa com: “Estou me candidatando para a sua posição XYZ e eu acho que sou um grande candidato, porque…” então você está se colocando no montante de cartas que são negadas. Empresas não querem ouvir sobre você, elas querem ouvir sobre si mesmo.

#4 – Apresentar suas credenciais por e-mail ou on-line para um recrutador e depois sentar e esperar por uma ligação. Veja # 2 acima para confirmar porque o recrutador não irá chamá-lo. Ainda escreverei um editorial que chamarei “Porquê o RH não está nem aí para você”… (rs!)

#5 – Navegar na net e ler artigos de aconselhamento de carreira e nem fazer nada do que é dito. Ok, então estou feliz que você veio para o nosso site, porque nós temos cerca de 20 anos comprovados, com especialistas, que fornecem os melhores conselhos de carreira disponível por aí. Mas vamos ser honestos, qual é o motivo de ler se você não para e pergunta: “Como posso me utilizar disso agora?” Recebo e-mails diáriamente de executivos pedindo conselhos e quando respondo com algumas idéias, alguns respondem, “Ah… já li isso em algum lugar. Acho que vou tentar.”

#6 – Enviar e-mail padrão para cada membro da família, amigo e ex-colega simplesmente dizendo: “Eu estou procurando um emprego.” Isso é como o enviar uma mensagem dizendo: “Eu estou procurando uma esposa.” Você tem que explicar aos contatos como eles podem ajudá-lo. Seja específico em termos de (a) as empresas que você gostaria de saber mais sobre, e (b) pessoas específicas que você deseja encontrar, pois isto torna possível que as pessoas se concentrem em como ajudá-lo. Um pedido genérico como o descrito acima é geralmente respondido da seguinte maneira: “Tenha certeza que se eu esbarrar em alguma vaga que se encaixe contigo, vou chamá-lo.” Adivinhe?… esta ligação não virá.

#7 – Ir a eventos de networking, sentar-se no canto porque você não pensou em como ia se apresentar e tudo o que deseja é sair do encontro. O que você estava pensando? Que as pessoas iriam dar as boas-vindas na porta e iriam segurar sua mão enquanto caminha ao seu lado e apresentá-lo pessoalmente a cada um que está lá? É claro que você não esperava por isso, certo? Você não tem que ser um mestre com palavras de sucesso em um evento de networking. MAS, você tem que pensar um pouco sobre o que você quer compartilhar sobre si mesmo para que você possa fazer uma boa e duradoura primeira impressão. Todos, sim todos, tem um ou mais tópicos únicos de venda que podem funcionar em um bate papo. Sei que não fomos ensinados a gabar de nós mesmos e, como conseqüência, não estamos realmente dispostos a falar sobre nós próprios de forma que pareça que estamos querendo nos mostrar, ou de forma fraca, mas esta é uma habilidade que precisa ser trabalhada se você está procurando um emprego. Esta é na verdade uma área onde dedicamos uma grande quantidade de tempo no nosso projeto de Executive Coach, então sei que é importante desenvolver um nível confortável com esta mensagem. No entanto, isso não significa que você não deva tentar melhorar isto. Se você não está a fim de fazer um esforço de comunicação em um evento de networking, então não vá. Acho melhor você ficar em casa e não se apresentar, do que ir e fazer uma fraca apresentação.

#8 – Pedir para se conectar com centenas de pessoas no LinkedIn, mas não personalizar a mensagem de solicitação. Olha… vou admitir, agir assim é ser MUITO TOSCO. Recebo muitos pedidos de conexão no LinkedIn e realmente gosto de conhecer diversos tipos de pessoas. No entanto, eu geralmente evito estreitar relacionamento com alguém que não pode dedicar 10 segundos de seu tempo para personalizar um pedido dizendo o porquê deveríamos nos conectar. Para mim, não é suficiente, nem importante, que estejamos no mesmo grupo online. Então, me dê um motivo razoável para pensar em me conectar contigo. Só quero me certificar que você é sincero na sua intenção de conexão e não está fazendo isso como uma forma de satisfazer a sua quota do dia. Ademais, se você disser algo interessante ou engraçado, provavelmente eu vou responder e iniciar uma verdadeira relação profissional contigo ao invés de ignorar seu pedido. Sei que isto pode soar chato, mas essa é a beleza das redes sociais, cada pessoa pode escolher como e o porquê se conectam. Vou te dizer mais, tenho conversado com muitos profissionais de mídia social, e todos eles se sentem da mesma forma.

#9 – Dar continuidade, de forma aleatória, na sua procura por um novo emprego, sem ter qualquer caminho claro e nenhum plano de ação semanal. Porque criar  listas de tarefas? Simples, (1) não queremos esquecer nada, (2) uma lista nos mantém focados no alvo, e (3) é MUITO BOM aquele sentimento que se tem quando verificamos que algumas atividades foram concluídas. Semanalmente, bons e inteligentes caçadores de oportunidades, traçam sua estratégia de procura de emprego e determinam as ações de alto retorno que irá levá-los a
melhores resultados. Então, anote e risque estas atividades quando concluídas. Se você não puder fazer isto, sua busca de trabalho tende a ser aleatória e improdutiva. Listas de tarefas dão resultados. Sem mencionar que, ao completar os itens da sua lista, isto o fará se sentir produtivo e satisfeito – é um grande motivador na realização de algo tão desafiador como uma busca de emprego.

#10 – Supondo que as oportunidades executivas não estejam se abrindo devido ao momento da economia, então você decide tocar sua procura por emprego de forma meia-boca, com uma atitude medíocre. Sim, podem existir 4 milhões de executivos, neste Brasil, procurando trabalho, mas há também há 3 milhões de oportunidades em aberto … e esses são apenas os que conhecemos! Estudos indicam que há milhões de empregos que não são divulgados. Empregadores estão à espera de encontrar o “candidato perfeito” para o trabalho e eles irão criar a posição. E, não esqueçamos, novos empregos estão surgindo diariamente. Assumir que você não irá conseguir um emprego até que a economia mude é como dizer: “Vou esperar e assim ser a última pessoa a ser escolhida a jogar uma partida de futebol” Pessoal!… é uma péssima idéia. É uma ótima maneira de começar a ser rotulado como um profissional sub-qualificado. Mesmo em tempos ruins, pode ser que economia venha a tenha uma recuperação lenta sob o ponto de vista de empregos, mas, honestamente, acho que a taxa de desemprego poderia cair de forma significativa se os executivos, candidatos a emprego, realmente investissem em aprender como se conectar melhor com os empregadores. Por que você deveria procurar de forma melhor? Porque você quer que um salário e o empregador é o único que pode te dar isto. Eles são seus clientes que realmente podem comprar os serviços do seu negócio, mas você tem que trabalhar para ganhar este negócio!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Networking: Os fortes Admiram os Fortes 21/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Editorial, Networking.
add a comment

minha primeira entrevista no Youtube. Espero que gostem!

Até o próximo Vídeo!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting