jump to navigation

Dezembro é especialmente Agitado 07/12/2013

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
3 comments

Reality Check Fim de AnoJá tive a experiência de sofrer uma demissão, há uns vários anos atrás, nas proximidades das festas de fim de ano, e por isto tenho uma especial empatia com os Job Seekers que passam por uma mudança radical de perda de trabalho, transição e re-ajuste na carreira. É fato que penso que esta fase de festividades não é uma oportunidade mágica de concertar, criar ou encontrar novas carreiras. Entretanto estes dias também não é um tempo de se sentir paralisado nesta empreitada de transição. É uma oportunidade de temperar, rejuvenescer e colocar em ordem sua procura.

Nesta semana estive com um colega meu, Rogério, do setor de Tecnologia durante um almoço no CENU, e ele esteve me contando suas estratégias de procura por novas oportunidades e os resultados maravilhosos que ele obteve. Procurei nele algumas dicas diferentes que eu pudesse repassar aos meus clientes, que por sua vez estão mergulhados em uma enormidade de tarefas de ligações a fazer, e-mails de boas festas, mensagens de amor e felicitações que, se não forem bem gerenciadas poderiam afogá-los e drenar seus tempos e energias.   Rogério comentou, ao eu ter perguntado se este fim de ano foi uma temporada ruim na sua procura, que na verdade foi bem pelo contrário. As últimas semanas foram especialmente agitadas por pessoas me contatando para uma variedade de posições. Muitas delas me contam que estão tentando colocar a casa em ordem para poder executar novas idéias no início de 2014. E, na maioria dos que conversei, querem se certificar que tenham o processo de contratação concluído o mais rápido possível”.

Pois é… e tenho o visto o mesmo com vários outros clientes meus: muita atividade, conversas contínuas, pedidos de currículos persistem enquanto a transição do ano continua. A comunicação tem que continuar e manter no mesmo nível de pique, e o networking têm que pegar e aumentar velocidade. Rogério terminou sua conversa comentando que “têm aproveitado a oportunidade de passagem de ano para planejar novos eventos para ir, pequenos presentes para dar e certificar-se que todos assuntos pendentes tenham um follow up adequado. Agora é uma ótima época para amarrar encontros com muitos colegas que não se fala já faz algum tempo e assim 2014 se inicia com um bom pique!”.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Mito: Empregos em baixa no final do ano 05/12/2013

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
3 comments

Muitos leitores meus pediram para reforçar o último editorial sobre o fim de ano, e abordar o mito de dezembro sobre outros ângulos. Mito: Com todas as distrações, fim de ano é uma época ruim para manter em alta a atividade de procura por emprego: Realidade: Profissionais em transição espertos aumentam sua atividade durante esta época. Incrivelmente muitos job hunters hibernam nestes dias e é então que a competição é reduzida e é mais fácil acessar os Decisores. As autoridades com poder de contratação que se encontram nos escritórios estão geralmente mais disponíveis e abertas a discutir oportunidades e apoio aos job hunters. Talvez seja verdade que tempo é tudo, e em qualquer momento do ano, uma janela de oportunidade é aberta e fechada. Como você saberia que neste fim de ano não te será aberta a oportunidade de conhecer aquele contato-chave, que te resultará naquela entrevista? De fato, o fim de ano concentra significativamente muito mais oportunidades executivas do que em outros tempos. Meu sócio, Edilson Ramos, recrutador, me conta que “ouve-se muitas manchetes de demissões aqui e ali. Mas, os Decisores recrutadores estão geralmente sob pressão para preencher as requisições de empregos ao final do ano, sabendo que sua janela se fechará após o final do ano. Empresas, as vezes, revertem temporariamente, o congelamento de contratações. Recrutadores, como qualquer outro profissional de vendas, ficam sob pressão para preencher suas quotas.”  Então? Você está desenvolvendo seus relacionamentos com Decision Managers ou apenas demonstrando, via e-mail, on-line ou off-line, o quão frustrado você está? Agora é a época de focar e se conectar… de verdade!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Mas, quem é que disse que o mundo do emprego para em Dezembro? 01/12/2013

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
Tags: , ,
3 comments

Poderia até haver alguma redução nas atividades, mas, primeiro, elas nunca cessam, e, segundo, há, em contrapartida, menos pessoas buscando emprego. O profissional brasileiro que está em transição deve saber que vem havendo hoje uma melhoria no mercado de busca de profissionais. O número de vagas ofertadas vem crescendo nos últimos meses, a economia tem apresentado sinais cada vez melhores. Ainda que no período houvesse uma baixa sazonal, esse efeito será menos sentido por conta das melhoras que vêm sendo registradas.

Será que vou iniciar 2015, com um novo desafio profissional? Mas, como consegui-lo justamente agora, no fim do ano, quando as mentes não estão voltadas para a busca e contratação de novos empregados? Não se diz que as coisas param nessa época? Quem é que vai preocupar-se com a busca de profissionais no mercado justamente em dezembro?

Visão objetiva do mercado

É importante entender que o mercado tem duas realidades: a) uma objetiva, isto é, como as coisas realmente são; b) uma subjetiva, isto é, como o profissional o vê e o interpreta.

Do ponto de vista objetivo, certamente há períodos em que o mercado se acha em melhor situação e períodos em que se acha em piores condições, em termos gerais ou em termos de algum segmento específico.

Do ponto de vista subjetivo, a visão que o profissional tem do mercado em si e do processo de busca, ela própria costuma ser a fonte de muitos problemas. A pessoa cria idéias, freqüentemente falsas, sobre como o mercado é e como o processo de busca deve ser. Em decorrência dessas idéias, que se tornam verdades inquestionáveis para o profissional, ele traça sua estratégia de busca de emprego. Como a estratégia baseia-se em pressupostos falsos, ela é inadequada e não levará a nenhum resultado satisfatório.

Um ponto importante é, pois, buscar informação verdadeira e objetiva sobre o mercado e o processo de busca de emprego. O mercado é ruim no período do Natal? Qual é o nível de queda? Em que segmentos cai mais? Há algum segmento que traz incremento na procura por profissionais? O que alguém que está buscando recolocação deve fazer nesse período? Simplesmente cruzar os braços e esperar pelo período pós-carnaval?

Seu dever como profissional

Algumas pessoas conseguem empregos no período de Natal e recebem um presente excelente. As pessoas que trabalham com recolocação sabem muito bem disso. Outras pessoas não conseguem, mas pelo menos plantam e recebem sinais positivos do mercado, o que é fundamental para a alimentação da sua esperança e entusiasmo. Há, entretanto, aquelas que não conseguem nem emprego nem sinais de esperança, nem uma dose de entusiasmo extra… simplesmente porque não procuraram.

O profissional tem de fazer a sua parte na busca do emprego:

  • Não fazer pressupostos sobre o mercado. Buscar informação de verdade é a melhor opção.
  • Acreditar nas possibilidades surgidas, mesmo que essas apareçam em menor volume, e mesmo que aparentemente não sejam muito promissoras.
  • Manter o esforço de busca independente de variáveis mercadológicas. Mesmo mercados muito ruins empregam algumas pessoas – certamente aquelas que se mantêm na luta.
  • Agir de tal modo que se provoque comportamentos produtivos nos outros independentemente de idéias injustificadas de adiamento. (Por exemplo, pode-se telefonar para aquele executivo que disse que gostaria de trocar umas idéias sobre possível futura colaboração).
  • Manter o trabalho de “plantar”: cadastrar currículo em sites, fazer visitas, telefonar para potenciais empregadores, ir a reuniões de empresários onde oportunidades poderão aparecer.

Se você pensa que pode…

A propósito, cabe lembrar a famosa frase de Henry Ford: “Se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer jeito você tem razão”.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting