jump to navigation

“Nunca contrate alguém acima dos 40” 19/01/2016

Posted by Pedro Carvalho in Acima dos 40, Editorial.
Tags: , ,
7 comments

Já há algum tempo tenho apoiado altos executivos, ajudando-os a trabalhar com os desafios em suas carreiras e abrir novas oportunidades de crescimento profissional e pessoal. Naturalmente, quando se fala em altos executivos, quase que por definição, está se falando sobre trabalhadores mais velhos, em geral acima dos 40 anos.  Porém, o clima corporativo nas contratações de hoje parece continuar a ignorar os trabalhadores mais velhos por uma série de motivos. Recentemente encontrei um interessante debate acadêmico sobre este tema em um espaço para debate no blog do The New York Times, onde diversos profissionais discutem sobre o porquê que empresas americanas têm muita dificuldade para que abraçar uma força de trabalho mais Senior.

De acordo com Peter Cappelli, diretor do Centro de Recursos Humanos Wharton School, trabalhadores mais velhos contribuem muito mais ao trabalho do que os os mais jovens. Eles têm melhor desempenho em uma ampla gama de áreas, trazem habilidades maduras e muitas habilidades interpessoais, normalmente são mais conscientes, atendem melhor, e assim por diante. Como diz Cappelli, “Embora se possa supor que os trabalhadores mais velhos custam mais, na verdade estes valores que os trabalhadores mais velhos recebem estão relacionados à experiência — o que afeta o desempenho.”

Alguns dos colaboradores do blog notam que o desempenho não muda depois de uma certa idade. Em contrapartida, Laurence Kotlikoff, professor de economia na Universidade de Boston, diz que os picos de produtividade nos 40’s declina gradualmente com a idade. No entanto, o problema real para a maioria dos empregadores, ou mais especificamente, a maioria dos gestores, é que eles não sabem como lidar com subordinados mais velhos. Este é um problema que muitos sentem: ninguém vai contratar seu pai ou sua mãe. É como Cappelli explica:

“O motivo real que empregadores parecem preferir candidatos mais jovens tem a ver com a percepção de seus supervisores, que muitas vezes se preocupam sobre como administrar seus subordinados mais velhos: Como posso controlar quem tem mais experiência do que eu, como faço para motivá-los quando eles estão menos preocupados com a promessa de promoções ou com a possibilidade de serem despedidos? Gerenciar trabalhadores mais velhos, de fato, não requer nenhuma ciência especial, mas requer uma abordagem mais colaborativa que respeite a expertise e abrace seus interesses.”

Jean Twenge, professor de psicologia de San Diego State University, observa que há alguns desafios com a força jovem de trabalho também. Ela observa que a geração de trabalhadores mais jovens tendem a ser mais auto-confiantes, ter maior auto-estima, assertividade e narcisismo, que são características que tendem a servir-lhes bem em uma entrevista de emprego, mas pode criar problemas no trabalho como a auto promoção de um sentimento e excesso de confiança e arrogância; “Pessoas narcisistas tendem a assumir muitos riscos, levando ao fracasso, e são impulsionados a reagir com raiva e agressividade quando criticados.”

Então, qual é a solução para os trabalhadores mais velhos à procura de uma nova oportunidade? A resposta é a mesma que venho dando nos meus editoriais anteriores (há algumas sugestões de leitura ao final deste editorial).  Ademais: venda seus pontos fortes. Promova sua experiência, confiabilidade, trabalho intenso, ética e habilidades interpessoais. Também demonstre sua flexibilidade, mostre que você pode se adaptar como colegas mais jovens. E tenha a postura de oferecer sua expertise ao invés de “buscar uma vaga”. Talvez você possa pensar em oferecer seus conhecimentos sob uma forma de consultoria, assim o empregador pode tirar proveito de sua experiência sem ter que se preocupar com questões como: “Como posso gerenciar meu pai?” Não tente competir com a forma de abordagem deles, mas ao contrário, faça uma lista de seus valores que agregam à organização e assim utilize seu próprio método de abordagem.

 

Até a próxima edição!

Partner – in-sight

Se você quer mais informação, veja  minhas sugestões de leitura:

10 anos mais jovem em 17 dicas 23/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Acima dos 40, Editorial.
Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,
add a comment

Frequentemente recebo apelos de executivos dizendo que não sabem como lidar com questões de discriminação relacionada a idade. Eles querem saber como manter sua vantagem competitiva em relação aos concorrentes mais jovens. Legal ou não, a discriminação pela idade, é algo que você vai ter que enfrentar quando estiver aperfeiçoando sua estratégia de networking, seu curriculum e seu marketing pessoal.

Qual a idade que você passa quando está sendo entrevistado? Mesmo não mostrando datas no Curriculum, é fácil calcular a sua idade baseado na data de sua formatura ou mesmo no tempo que você esta trabalhando. No entanto, eis a verdade: Percepção é a nova realidade. Aprenda a arte de ser percebido como mais jovem, bem como parecer mais jovem. O importante é entender que, neste tema de empregabilidade executiva, juventude é algo que vai além da percepção visual.

É justo? Será que é legal? E o mais importante, você deve se preocupar com isto? Se você tem mais de 40 anos, você precisa ler o que se segue.

Há mudanças constantes nas empresas. Patrões podem usar a magia da palavra “demissão” como se fosse um cheque em branco que pode ir ao fogo a qualquer momento por qualquer motivo. E pode-se atacar a alta gerência – jogar os trabalhadores seniores na fogueira, cujos altos salários e grandes egos já superaram em muito as boas-vindas dos primeiros dias na empresa.

Então, de volta ao tema da idade.

Enquanto muitos trabalhadores aprenderam que uma boa aparência e um terno bem cortado podem representar uma boa ajuda rumo ao sucesso no trabalho, mas muitos não conseguem enxergar que cultivar a percepção da juventude é igualmente uma parte importante da equação.

Ser percebido como mais jovem está no vocabulário, na linguagem corporal e no olhar. E eis um segredo: Estas regras aplicam-se mais ainda quando seu chefe tem sua idade ou é até mais velho. Não se trata de seguir um roteiro para impressionar alguém mais jovem. Seja qual for a idade de seu chefe ou entrevistador, você precisa criar uma percepção de jovialidade sobre si mesmo. Caso contrário, haverá alguém mais rápido no computador e com conhecimentos de cultura contemporânea, que ficará muito feliz em preencher a oportunidade a que você se candidata.

A esta altura você já deve estar se perguntando: Então, como se faz isso? Aqui estão algumas dicas, use-as para se lembrar como chamar a atenção do seu próximo empregador enquanto aqueles que estão ao seu redor estão perdendo sua jovialidade:

Regra # 1: Se você tem mais de 40 anos, quero você no Facebook e Linkedin hoje!

Não tem amigos lá? Você já tem um: basta me adicionar. Se você não sabe como usá-lo, peça a seus filhos ou outro colega te ensinar. Deixe esta mesma pessoa te ajudar a escolher sua foto no perfil. Sério mesmo. Você sabia que o novo Outlook 2010 “puxa” as informações do Facebook e Linkedin? Hoje acho muito estranho quando recebo e-mails de profissionais que não conheço e não há informação disponível das mídias sociais que o Outlook deveria ter puxado. Denota claramente que é alguém “fora do contexto”.

Regra # 2: Conheça e use com frequência o Google e a Wikipedia.

Marque-os em seu computador e defina-os um como sua página inicial.

Regra # 3: Assista alguns episódios de “Two-and-a-half-Man“.

Discuta. Reveja.

Regra # 4: Vá até uma loja que tenha os iPad’s.

Pelo menos, aprenda a diferença entre um iPad, iPod, Galaxy e Smartphone e você já estará no caminho certo.

Regra # 5: Aprenda a usar SMS (mensagem no seu celular).

Regra # 6: Não use papel.

Jovens lêem suas notícias on-line – eles não lêem jornais. Portanto, não carregue um jornal em papel para uma entrevista, nem deixe ser visto lendo isto no escritório, como se você fosse o papai ou mamãe de alguém.

Regra # 7: Não resmungue.

Esta é fácil. Mas é impressionante como isto se relaciona com idade avançada. Pare de reclamar de seu antigo empregador e de suas antigas dificuldades. Seja positivo.

Regra # 8: Faça contato olho-a-olho.

O contato visual é muito importante para ser percebido de forma mais jovial, não tenha receio!.

Regra # 9: Raramente faça comentários sobre seus filhos, especialmente os piegas.

Regra # 10: Vá para a academia.

Ou pelo menos diga que você costuma ir.

Regra # 11: Não fale sobre os anos 80’s e 90’s.

Não use frases tais como: “no meu tempo”, “na minha época”. Nunca!

Regra # 12: Inicie um Twitter, seja fã de um Blog.

Procure imediatamente saber como funcionam.

Regra # 13: Sorriso Colgate.

Recebo muitas cartas de pessoas que simplesmente não entendem que ter os dentes manchados de café não ajuda em nada na hora da entrevista. Pare de enrolar, compre a super-pasta clareadora (use a marca de sua preferência) e clareie os dentes. Então sorria. Sorrir faz você olhar e se sentir mais joven – e não amargo, velho e desempregado. Não me importo se você realmente está amargo, velho e desempregado. É uma questão de percepção, lembra?

Regra # 14: Pratique “soar jovem” no telefone.

Faça uma pesquisa de quantos anos você parece ter ao usar o telefone, pratique com um amigo. Uma dica: Não fale tão alto, mas de forma mais vigorosa. Isso é crucial. Na mesma linha de pensamento, certifique-se seu papo não é muito longo ou entediante. Tudo que você precisa é parecer curto e suave, com atitude positiva.

Regra # 15: O vestuário é muito importante: Vista-se sempre de forma apropriada para sua a idade.

Nenhum homem com mais de 40 deve usar camisa apertada, por exemplo.

Regra # 16: Dê uma boa e longa olhada no seu penteado.

Meu conselho é perguntar a um estranho a opinião dele ou dela. Alguém que gosta de você não vai querer ferir seus sentimentos e, infelizmente, isso não vai ajudá-lo. Uma coloração esquisita de cabelo, tanto para homens ou mulheres pode estragar a aparência. Creio que você concorde que colorir cabelo para os homens raramente funciona.  Homens, não exagerem em sua busca por um penteado novo – apenas apare os pelos de seu nariz e orelha que você já estará no caminho certo. Mulheres: tirem ou clareiem os pelos faciais.

Regra # 17: Passar colónia e perfumes em excesso.

E já que tocamos neste tema, use desodorante neutro. Desta forma uma fragrância suave poderá ser agradavelmente percebida.

Ok … Sentiu-se mais jovem, ou apenas nivelou?

Confie em mim, talvez tenha conseguido tirar 15 anos do jeito que você vem tocando sua vida. Sim, sei que algumas coisas que citei acima aqui são cosméticas, ou parecem picuinhas ou controversos, mas a maioria não é. Trata-se de percepção… e percepção é a nova realidade.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Editoriais semelhantes pelo mesmo autor:

Fonte e Bibliografia:

Over 40 & You’re Hired!: Secrets to Landing a Great Job – por Robin Ryan

Finding Work After 40: Proven Strategies for Managers and Professionals  – por Robin Bell and Liam Mifsud

Bulletproof Your Job  – por Stephen Viscusi

Issues in Career Development – por John Patrick da California University of Pennsylvania

Ross Macpherson – Career Quest

 



Como responder o ” Conte-nos” sobre você em uma entrevista de emprego 02/08/2011

Posted by anacaroline2 in Editorial.
Tags: , , , , ,
add a comment

Nos recrutamentos em que faço , quase sempre começo minhas entrevistas solicitando aos candidatos que contem um pouco sobre eles. Faço isto por uma série de razões, a mais importante é ver como os candidatos se saem quando pegos de surpresa, sem tempo para estruturar ou manipular uma resposta.

Minha intenção é ver quão articulados eles são, o quão confiante eles estão, e geralmente que tipo de impressão que causam nos colegas que tiveram contato no trabalho. Também quero ter uma noção do que é importante para eles.

A maioria dos candidatos considera esta questão particularmente difícil de responder. Mas posso garantir que esse sentimento é uma visão equivocada. Esta questão oferece uma oportunidade para descrever a si próprio de forma positiva e focar a entrevista nos seus pontos fortes. Esteja preparado para lidar com isto. Atualmente esta é uma pergunta invevitável. Como eu, a maioria dos entrevistadores começam suas entrevistas com esta questão. Muitos usam esta abertura como um quebra-gelo ou porque ainda estão se organizando, mas todos eles a usam para ter uma noção de quem você é.

A resposta errada:

Há muitas maneiras de responder esta pergunta corretamente e apenas uma maneira errada: ao perguntar: “O que você quer saber?” mostrará que você não se preparou adequadamente para a entrevista e é provável que esteja igualmente despreparado para aquela vaga. Você precisa desenvolver uma boa resposta para esta pergunta, praticá-la e ser capaz de respondê-la com equilíbrio e confiança.

A resposta certa:

Para ajudar você a se preparar, fale com um consultor de carreira sobre a melhor forma de responder quando confrontado sobre esta questão. Ouvir os conselhos de alguém experiente pode ser o passaporte para seu emprego

Alguns colegas de profissisão, recrutadores, com quem falei, me recomendaram principalmente:

– Concentre-se no que mais interessa ao entrevistador

– Destaque suas realizações mais importantes

Foque no que interessa ao entrevistador

O maior erro dos candidatos é pensar que o recrutador quer realmente saber sobre sua vida.

Começam a dizer coisas como “Bem, eu nasci em São Paulo…, e quando eu tinha três anos nos mudamos…”. Errado. O entrevistador quer saber o que você pode fazer no trabalho, como se encaixa no time, o que você realizou em suas posições anteriores e como você pode ajudar a organização.

Muitos candidatos, despreparados para a questão, recapitulam a história de sua vida, apegando-se as fatos do antigo trabalho ou assuntos puramente pessoais. Recomenda-se começar com o seu emprego mais recente, explicando o porquê você está bem qualificado para a posição. A chave para que sua entrevista tenha sucesso é combinar as suas qualificações com caracteristicas pessoais que mostrem suas melhores habilidades.

Pense na sua resposta como um trailer de um filme. Esta prévia do filme sempre se relaciona com o que você está prestes a ver. É esquisto ver um trailer de uma comédia quando se está lá para ver um documentário. Assim, ao ‘diga-me sobre você’ deve atender as necessidades diretamente ligadas ao que o recrutador procura.

Trailers também são curtos, mas mostram clipes do filme que as pessoas gostariam de ver mais da tarde. Fornecem informações suficientes para você saber do que se trata o filme, de modo que você pode fazer perguntas inteligentes sobre o ele.

Recrutadores não querem parecer despreparados ao ler seu currículum na sua frente, assim ofereça-lhes alguns tópicos de forma que possam formular mais perguas a você.”

Destaque suas realizações mais importantes

Eu aconselho os candidatos a “contar uma história memorável sobre seus atributos.” Por exemplo, se você disser que as pessoas o descrevem como tenaz, consequentemente deverá fornecer uma breve história que mostre como você tem sido tenaz em alcançar seus objetivos. Histórias são uma forma poderosa de deixar uma boa lembrança.

Um grande exemplo é o da Fran Capo, uma comediante que conta como “a fala mais rapida do mundo é a feminina.” Ela oferece o seguinte conselho: “Sempre que vou em testes ou entrevistas, tenho um discurso de abertura que uso. Digo o que faço em uma sentença e depois falo: ‘E eu também estou no livro Guinness dos recordes mundiais’ sou bem objetiva.” Então depois eu elaboro.” De acordo com Capo, qualquer coisa que você faça, deve ter como foco principal ser memorável, de forma positiva. Seu objetivo quando você responde o “conte-me sobre você” é encontrar uma maneira de destacar-se dos demais.

Seja breve

Um apresentador do programa de rádio sobre carreiras salienta a importância de elaborar uma curta resposta: “O empregador quer saber um pouco sobre você para começar – não a história a sua vida. Deve-se oferecer duas ou três coisas que são interessantes – e úteis. Você deve levar cerca de um minuto para responder a essa pergunta.

Para ter certeza que foi sucinto e abordou o que precisava, sugerimos que você “escreva a sua resposta antes da entrevista, e a pratique, ensaie até que soe natural. Então pratique um pouco mais. O objetivo é informar ao empregador o suficiente para despertar o seu interesse, mas não tanto, que possibilite a ele perguntar-se se seria capaz de te calar durante uma pausa para o café no escritório.”

Ao invés de ter receio desta questão, um candidato bem preparado deve achar bom este inquérito. Respondida corretamente, esta pergunta coloca o candidato no assento do motorista. E dá a oportunidade de vender-se a si mesmo. Permite definir o tom e a direção para o resto da entrevista, preparando-o para as perguntas que mais deseja responder.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – Authent® Executive Search & Recruting

Fonte e Bibliografia:

Livro: Acing the Interview: How to Ask and Answer the Questions That Will Get You the Job por Tony Beshara

Livro: Instant Interviews: 101 Ways to Get the Best Job of Your Life por Jeffrey G. Allen

How to prepare – redgoldfish.co.uk

Interview Questions and Answers – Job Interview Questions and Best Answers por Alison Doyle, About.com Guide

How to prepare for a job interview with employment or personnel agencies & employers

Job Interview Tips Lee E. Miller – managing director of NegotiationPlus 7 Common Interview Questions For The New Graduate (or anyone else) por Ron Haynes

Quatro maneiras para capturar seu cliente: seu próximo Chefe 09/03/2011

Posted by Pedro Carvalho in Brand You®, Editorial.
Tags: , , , , , , , ,
1 comment so far

Já mencionei em meu blog muitas vezes que a procura de emprego envolve a venda de sua marca pessoal. Não importa qual seja sua profissão, sua idade, sua expertise… quando você realizar um trabalho de busca por um novo emprego, você então se torna um vendedor, e o produto que está vendendo é a sua especialidade. É por isso que é útil para aprender com os marqueteiros de vez em quando. Um dos boletins vejo regularmente é Marketing Profs, e em um artigo recente intitulado “4 Ways to Capture Me & Make Me a Buyer Forever” incluiu conselhos que se são similares aos que dou a Executivos em busca por um novo emprego.

Quando você iniciar o seu projeto de marketing pessoal, a estratégia tem que incluir formas de chamar a atenção de seu público-alvo, Decisores de Contratação (seus possíveis próximos chefes), e depois transformar essa atenção em uma experiência positiva que irá resultar em fechamento do negócio, oferecendo-lhe o emprego que procura. Então, pense em como você pode usar estas quatro dicas de marketing para obter seu próximo trabalho:

Chame a atenção. Seu primeiro objetivo é ser notado de forma positiva. Isso não significa entrar atabalhoadamente em uma discussão na mídia social (como o Linkedin por exemplo), ou em uma reunião e gritando: “Olhe para mim! Contrate-me!“, ao contrário isso significa que você precisa participar de uma forma positiva. Do ponto de vista de marketing é necessário provocar interesse e um follow-up. Em marketing, você pode usar brindes como é feito em um McDonald’s ou promoções de Cartões de Créditos. Seja criativo e encontre uma nova maneira de captar a atenção de alguém com uma pergunta provocativa ou um relatório sobre um assunto que você tem um especial interesse.

Capture a imaginação deles. Uma vez que você tem a atenção deles, você tem que se destacar na multidão. Diga algo perspicaz, e diferente. Use um exemplo convincente de que vai ficar na mente de um Decisor de Contratação (seu próximo chefe) ou ofereça uma linha de pensamento ou uma lógica que resolva um problema que eles tenham em mãos. Não fale de si mesmo, ao contrário faça uma conexão com seu público-alvo mostrando-lhes como você pode resolver problemas deles.

Capture a afeição deles. No marketing, esse é o vínculo emocional entre o cliente e o produto ou marca. Quando buscando um emprego, esta é  sua oportunidade de fazer uma conexão mais humana com o influenciador que fica do outro lado da mesa. Conte uma história que inspira ou cria essa ligação emocional. Faça-o de forma pessoal e atraente.

Capture os interesses pessoais deles. Este é um grande problema que muitos Executivos a procura por emprego tendem a esquecer. Procurar emprego não é sobre você, é sobre o que você pode fazer para a empresa contratante. Apele à necessidade dos que pensam “o que há nele que me ajudará?“, mostrando-lhes como você pode resolver os problemas deles. Se você se entra em uma reunião, ou entrevista, começando com “eis aqui está o que eu quero“, você colocará o entrevistador na defensiva. Se você pode entender o que eles querem e apelar às suas necessidades, então você poderá ajudá-los a vender você como a solução dos problemas deles.

Quando você participar de uma entrevista de emprego ou entrar em contato com novos colegas, tente abordar os quatro pontos. Se você conseguir captar a atenção, então ateie fogo na imaginação deles, ganhe a afeição de forma personalizada, e finalmente ofereça algo de valor. Desta forma você terá um novo aliado em sua busca.

Até a próxima Edição!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – Authent® Executive Search & Recruting

Fonte e Bibliografia:

Steve Woodruff é um Agente de Conexões. Ele conecta as pessoas com sua finalidade, sua mensagem, e com outras pessoas, a fim de criar um crescente Networking de Oportunidades.
Marketing Profs – É um blog, com fonte abundante de informações, que oferece recurso de know-how para ajudar as pessoas comercializarem seus produtos e serviços, tanto mais inteligente e melhor.
Career Distinction: Stand Out by Building Your Brand by William Arruda and Kirsten Dixson
Kathy Simmons – CEO Netshare Inc
Me 2.0: Build a Powerful Brand to Achieve Career Success por Dan Schawbel
The 10Ks of Personal Branding: Create a Better You por Kaplan Mobray