jump to navigation

Não perca meu tempo 23/06/2015

Posted by Pedro Carvalho in Editorial.
Tags: , , , ,
add a comment

Estou lendo um livro muito interessante chamado “Alça de Silicone”. A autora, Maria do Carmo, é fundadora da empresa Executivas & Chiques, que presta serviços de consultoria na área de Imagem, Estilo e Etiqueta Corporativa. Em várias passagens do livro e seu blog a autora comenta sobre a impressão que profissionais causam no primeiro encontro.

Normalmente as pessoas são competitivas na maior parte do tempo.  No mundo corporativo a competição é ainda mais cruel. As pessoas associam qualidade do seu trabalho com a maneira com que você se apresenta. Uma coisa importante a saber: não é preciso ter cursos de oratória para ser elegante. Os componentes fundamentais  da elegância são o respeito aos outros e a atenção ao que as pessoas têm a lhe dizer. Mais até do que um terno de grife carésimo.

Ser elegante inclui boa postura, discrição e, sobretudo, bom senso. Não é elegante, por exemplo, usar termos em inglês a torto e a direito – aquele que parece estar sempre acima das ultimas gírias internacionais, ou mesmo exagerando no “tecniquez” de sua profissão. Mas também, por favor, não tenha uma ignorância completa pelos termos básicos. Seja equilibrado, utilize seu estilo de linguagem e tente nele se manter, criando, assim, uma “marca” pessoal.  Uma forma elegante de conversar não é futilidade para um profissional que pretende se destacar. É, isso sim, ferramenta de trabalho que além de agregar valor à imagem, pode ser decisiva naquele encontro de networking.

No outro extremo da elegância estão os Prolixos, tema central deste meu editorial.

Existe um provérbio sobre as pessoas prolixas: “Quem muito fala pouco acerta, Quem muito fala, muito erra“. A piada reconhece o fato de que falar demais é esquisito. Prolixidade é a arte de usar os outros para chamar a atenção e aprovação por não se darem, a si mesmo, o bastante em atenção e aprovação. O prolixo não está realmente oferecendo algo para o ouvinte. Ao contrário, o prolixo, usando extensivamente de um monólogo, está drenando energia do ouvinte. Pessoas que geralmente ouvem os prolixos são verdadeiros “Santos” que têm receio de magoar o falador ao forçar o término de uma conversa.

Prolixos muitas vezes são pessoas carentes que tentam preencher seu vazio aprisionando pessoas para escutá-las. Por exemplo: já vi pessoas dizendo a um caixa de banco, a história de sua vida, enquanto o coitado do caixa fica preso e não sabe como afastar o falante sem ser indelicado. Uma das razões pelas quais essas pessoas têm poucos amigos de qualidade é que ninguém o quer por perto.

Meu caro amigo; se você se enquadra na categoria dos prolixos, não demorará a perceber que muita gente
passará a evitá-lo. A maioria das pessoas não irão te dizer a verdade:

  • Que o seu prosório é entediante;
  • Que se sentem cansados com aquelas estórias intermináveis;
  • Que você lhes drena energia;
  • Que se sentem como idiotas por terem, novamente, caído na sua armadilha do blá, blá, blá.

Sem querer ofendê-lo, apenas ficam longe e não falarão a verdade. Eles não irão atender o telefone ou marcar uma reunião quando sabem que é você! Encontrarão qualquer desculpa para não gastar tempo com você. Não é que eles não gostam de você – é que eles não querem ser usados por você para preencher o seu vazio.
Por fim a primeira coisa que você precisa saber, se pretende causar uma boa impressão, é que precisa ser minimamente elegante.  E para tal, você deve respeitar todas as pessoas. Não é por muito falar que os outros irão perceber o quanto você é bom ou eficiente. É, isto sim, por sua capacidade de escutar. Respeito pelo outro é uma mostra de educação e respeito refinados, e o retorno sempre virá. Cooperação e solidariedade devem ser exercitada diariamente para que você se sinta bem com você mesmo e para que os outros se sintam ainda melhor.

Até a próxima Edição!

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – in-sight® Executive Search & Recruting

Fonte e Bibliografia:

Reinaldo Polito é Mestre em Ciências da Comunicação, Palestrante, Professor de Expressão Verbal e Escritor.

Alça de Silicone – Conselhos para mulheres em busca do sucesso profissional por Maria do Carmo Marini: Consultora e empresária, é engenheira de formação com especialização em marketing, comunicação corporativa e coaching pessoal e profissional.

Que impressão você dá às pessoas com quem conversa? I – do blog “Executivas e Chiques” da mesma autora: Maria do Carmo Marini http://executivasechiques.com

Keys for Relating to Non-Stop Talkers71 – http://hubpages.com/hub/Keys-for-Relating-to-Non-Stop-Talkers

Como responder o ” Conte-nos” sobre você em uma entrevista de emprego 02/08/2011

Posted by anacaroline2 in Editorial.
Tags: , , , , ,
add a comment

Nos recrutamentos em que faço , quase sempre começo minhas entrevistas solicitando aos candidatos que contem um pouco sobre eles. Faço isto por uma série de razões, a mais importante é ver como os candidatos se saem quando pegos de surpresa, sem tempo para estruturar ou manipular uma resposta.

Minha intenção é ver quão articulados eles são, o quão confiante eles estão, e geralmente que tipo de impressão que causam nos colegas que tiveram contato no trabalho. Também quero ter uma noção do que é importante para eles.

A maioria dos candidatos considera esta questão particularmente difícil de responder. Mas posso garantir que esse sentimento é uma visão equivocada. Esta questão oferece uma oportunidade para descrever a si próprio de forma positiva e focar a entrevista nos seus pontos fortes. Esteja preparado para lidar com isto. Atualmente esta é uma pergunta invevitável. Como eu, a maioria dos entrevistadores começam suas entrevistas com esta questão. Muitos usam esta abertura como um quebra-gelo ou porque ainda estão se organizando, mas todos eles a usam para ter uma noção de quem você é.

A resposta errada:

Há muitas maneiras de responder esta pergunta corretamente e apenas uma maneira errada: ao perguntar: “O que você quer saber?” mostrará que você não se preparou adequadamente para a entrevista e é provável que esteja igualmente despreparado para aquela vaga. Você precisa desenvolver uma boa resposta para esta pergunta, praticá-la e ser capaz de respondê-la com equilíbrio e confiança.

A resposta certa:

Para ajudar você a se preparar, fale com um consultor de carreira sobre a melhor forma de responder quando confrontado sobre esta questão. Ouvir os conselhos de alguém experiente pode ser o passaporte para seu emprego

Alguns colegas de profissisão, recrutadores, com quem falei, me recomendaram principalmente:

– Concentre-se no que mais interessa ao entrevistador

– Destaque suas realizações mais importantes

Foque no que interessa ao entrevistador

O maior erro dos candidatos é pensar que o recrutador quer realmente saber sobre sua vida.

Começam a dizer coisas como “Bem, eu nasci em São Paulo…, e quando eu tinha três anos nos mudamos…”. Errado. O entrevistador quer saber o que você pode fazer no trabalho, como se encaixa no time, o que você realizou em suas posições anteriores e como você pode ajudar a organização.

Muitos candidatos, despreparados para a questão, recapitulam a história de sua vida, apegando-se as fatos do antigo trabalho ou assuntos puramente pessoais. Recomenda-se começar com o seu emprego mais recente, explicando o porquê você está bem qualificado para a posição. A chave para que sua entrevista tenha sucesso é combinar as suas qualificações com caracteristicas pessoais que mostrem suas melhores habilidades.

Pense na sua resposta como um trailer de um filme. Esta prévia do filme sempre se relaciona com o que você está prestes a ver. É esquisto ver um trailer de uma comédia quando se está lá para ver um documentário. Assim, ao ‘diga-me sobre você’ deve atender as necessidades diretamente ligadas ao que o recrutador procura.

Trailers também são curtos, mas mostram clipes do filme que as pessoas gostariam de ver mais da tarde. Fornecem informações suficientes para você saber do que se trata o filme, de modo que você pode fazer perguntas inteligentes sobre o ele.

Recrutadores não querem parecer despreparados ao ler seu currículum na sua frente, assim ofereça-lhes alguns tópicos de forma que possam formular mais perguas a você.”

Destaque suas realizações mais importantes

Eu aconselho os candidatos a “contar uma história memorável sobre seus atributos.” Por exemplo, se você disser que as pessoas o descrevem como tenaz, consequentemente deverá fornecer uma breve história que mostre como você tem sido tenaz em alcançar seus objetivos. Histórias são uma forma poderosa de deixar uma boa lembrança.

Um grande exemplo é o da Fran Capo, uma comediante que conta como “a fala mais rapida do mundo é a feminina.” Ela oferece o seguinte conselho: “Sempre que vou em testes ou entrevistas, tenho um discurso de abertura que uso. Digo o que faço em uma sentença e depois falo: ‘E eu também estou no livro Guinness dos recordes mundiais’ sou bem objetiva.” Então depois eu elaboro.” De acordo com Capo, qualquer coisa que você faça, deve ter como foco principal ser memorável, de forma positiva. Seu objetivo quando você responde o “conte-me sobre você” é encontrar uma maneira de destacar-se dos demais.

Seja breve

Um apresentador do programa de rádio sobre carreiras salienta a importância de elaborar uma curta resposta: “O empregador quer saber um pouco sobre você para começar – não a história a sua vida. Deve-se oferecer duas ou três coisas que são interessantes – e úteis. Você deve levar cerca de um minuto para responder a essa pergunta.

Para ter certeza que foi sucinto e abordou o que precisava, sugerimos que você “escreva a sua resposta antes da entrevista, e a pratique, ensaie até que soe natural. Então pratique um pouco mais. O objetivo é informar ao empregador o suficiente para despertar o seu interesse, mas não tanto, que possibilite a ele perguntar-se se seria capaz de te calar durante uma pausa para o café no escritório.”

Ao invés de ter receio desta questão, um candidato bem preparado deve achar bom este inquérito. Respondida corretamente, esta pergunta coloca o candidato no assento do motorista. E dá a oportunidade de vender-se a si mesmo. Permite definir o tom e a direção para o resto da entrevista, preparando-o para as perguntas que mais deseja responder.

Até a próxima Edição!

Pedro Carvalho

Centro de Carreira dos Ex-Alunos da GV

Partner – Authent® Executive Search & Recruting

Fonte e Bibliografia:

Livro: Acing the Interview: How to Ask and Answer the Questions That Will Get You the Job por Tony Beshara

Livro: Instant Interviews: 101 Ways to Get the Best Job of Your Life por Jeffrey G. Allen

How to prepare – redgoldfish.co.uk

Interview Questions and Answers – Job Interview Questions and Best Answers por Alison Doyle, About.com Guide

How to prepare for a job interview with employment or personnel agencies & employers

Job Interview Tips Lee E. Miller – managing director of NegotiationPlus 7 Common Interview Questions For The New Graduate (or anyone else) por Ron Haynes